## Última Hora ##
Um momento...
, , , , , , ,

O Abuso do álcool e a cirrose hepática

Premissa: a etiologia das chamadas doenças (ou seja, a causa das reações fisiológicas especiais do organismo) é o tema que, em uma primeira aproximação às 5LB, chama a atenção da maioria. Além da compreensão das causas, é fundamental aprender a se familiarizar com a função dos tecidos envolvidos e a posição do organismo nesse processo.
Este enfoque utiliza os detalhes adquiridos na Escola de Formação Profissional 5LB, que por si só não busca demonstrar nada (não neste contexto), mas sim dá instrumentos preciosos que permite a qualquer pessoa verificar esse processo.
Para os principiantes será necessário ler, pelo menos, as 5 Leis Biológicas


A cirrose hepática está entre as 10 principais causas de morte no mundo ocidental e é convencionalmente reconhecido que a causa é dada por hepatite de natureza diferente [ESP] e abuso de álcool.

É evidente e é um fato comprovado: beber é ruim e, se for exagerado, o fígado é destruído.
No entanto, nesta área as coisas são enquadradas sem preconceito e as peças do quebra-cabeça são dispostas de modo que tudo se fecha.
Para começar a entender alguma coisa é preciso desmantelar o dogma que damos por certo e reestruturar algumas crenças: como já vimos de maneira genérica para a comida (organizar em colunas Fazer bem, fazer mal), não há alimentos que te deixem doente ou que te curem, no máximo, se você quiser dar a comida uma função além de alimentar, há alimentos mais ou menos adequados para o momento em que os processos de fisiologia especial do organismo se encontram.
Se o fígado está trabalhando para reparar seus próprios tecidos ulcerados, não beber álcool pode ajudar a terminar melhor o trabalho.
No entanto, beber álcool não é a causa da ulceração ou da necrose das células do fígado, porque, na verdade, se fosse esse o caso, todo mundo que bebesse álcool deveria ter cirrose e quem não bebesse não deveria.

"Cirrose" é um termo que se refere a um acúmulo de tecido cicatricial, fibrótico difuso no fígado (por extensão também é usado para outros órgãos). A cirrose é o resultado de um longo processo repetido milhares de vezes, que o corpo ativa de maneira sensata em duas ocasiões:

1- se é a glândula do fígado, o parênquima, o que causa cirrose: a célula do fígado na fase ativa cresce e se multiplica, aumentando sua própria função metabólica de armazenamento dos nutrientes principais (adenocarcinoma, impulsionado pelo tronco cerebral).
Na PCL, as células em abundância são necrosadas através de um processo de caseificação por fungos e microbactérias que criam uma "caverna". Porém, na ausência de micróbios, o organismo adota a solução de “encistar” aquela parte do órgão que não lhe é mais útil.
Nesse caso, os sinais do processo podem ser chamados de cirrose e os valores das enzimas hepáticas não variam dentro dos limites normais.
A percepção biológica neste processo é "sentir-se morrendo de fome", "falta do alimento essencial".
O que o fígado faz nessa condição é tentar aumentar sua própria atividade para melhor metabolizar a pouca comida disponível.
Para o ser humano civilizado, a falta de um alimento essencial é muitas vezes percebida em relação ao dinheiro (o meio pelo qual a comida é obtida).

2- Se são os ductos biliares que causam as cicatrizes (a situação mais comum atualmente), é o tecido ectodérmico que ulcera e repara repetidamente. As cicatrizes e as áreas de fibrose também são chamadas de "cirrose".
Neste caso, os valores das enzimas hepáticas são alterados.
A percepção biológica é "sentimento de injustiça porque alguém tomou algo que é meu" para o destro, enquanto para a mulher canhota é um sentimento de perda de identidade "não sei qual é o meu papel", não sei se sou ou não sua esposa ... você encontrará mais informações no artigo sobre hepatite. [ESP]

Especialmente neste segundo caso tem a ver com situações de ressentimento arrastadas durante anos em que a pessoa, sentindo-se trancada em uma gaiola sem poder encontrar uma solução e uma saída, encontra no álcool um sedativo muito eficaz.
Por essa razão, a cirrose e o alcoolismo podem andar juntos, e o álcool não é a causa da cirrose, mas um meio frequentemente usado para não sentir aquela grande dor (que alimenta o rancor).
De uma maneira, talvez provocativa, poderíamos dizer que: a cirrose é a causa do alcoolismo e não o contrário.

Muitos usam álcool ou outras substâncias para não sentir o sofrimento, mas da mesma forma usando métodos mais ou menos óbvios, muitos outros estão trancados em suas próprias gaiolas [ESP], cada qual com sua própria estratégia, fazendo com que o fígado trabalhe um pouco mais que o habitual.

Para aplicar esse conhecimento em um caso especifico, a precisão é essencial, também é importante não se auto diagnosticar e não modificar o tratamento medico indicado, mas dentro dos limites desta informação que não pretende ser completa, para observar os processos, bem como para fins didáticos.
Devido à pluralidade de variáveis, é impossível e desrespeitoso para a pessoa envolvida, mesmo na presença do melhor especialista medico, fazer diagnostico completos e corretos on-line.
Como este é um resumo sintético da informação, é aconselhável realizar um estudo exaustivo do assunto.

Se você gostou, siga a página aqui



Equipe de tradução e direção

5 Leis Biológicas Brasil

Siga o 5LB Magazine