## Última Hora ##
Um momento...
, , , ,

O que você acredita pode deixá-lo doente - sensacionalismo da mídia

Esta notícia de 2013 foi uma das que impulsionaram a criação deste site:

Efeito nocebo: más notícias são ruins para a saúde

Um estudo alemão diz que as notícias de impacto podem deixá-lo tão doente quanto quando você lê uma bula de remédio e acaba sentindo os sintomas relatados como efeitos colaterais.
Fonte (ITA)
Mais informações em ScienceDaily
O estudo original publicado no Journal of Psychosomatic Research

O efeito nocebo foi identificado inicialmente em ensaios clínicos, quando algumas pessoas apresentaram efeitos colaterais e sintomas após tomar um placebo, ou seja, uma substância sem nenhum ingrediente ativo real, mas que a pessoa foi levada a acreditar que a possuía.

Estudos realizados sobre o efeito nocebo - como "vamos ver o quanto algo te machuca" - são ainda mais raros do que aqueles sobre o efeito placebo, por razões éticas óbvias: quando são encontrados, são muito interessantes.

Esta experiência simples revelou o papel de percepção nas perturbações conhecidas como "hipersensibilidade eletromagnética" ou "electrosensitivity".
Aqueles que são "sensíveis aos campos eletromagnéticos" acusam sintomas como dores de cabeça, náusea, tontura, formigamento. Sob essas condições, algumas pessoas param de trabalhar, se isolam socialmente e, às vezes, perturbam suas vidas mudando para lugares distantes de fontes eletromagnéticas.

Um grupo de cerca de 70 pessoas recebeu um documentário da televisão da BBC sobre os riscos à saúde associados à exposição a campos eletromagnéticos.

Outro grupo de cerca de 70 pessoas recebeu um documentário sobre segurança de dados na Internet e em telefones celulares. Todos os participantes foram informados de que seu ambiente estava saturado com radiação de sinais WIFI (expostos por 15 minutos). Mas não era verdade.

Embora ninguém tenha sido exposto a campos eletromagnéticos específicos, o documentário de saúde aumentou a sensibilidade: 54% dos indivíduos experimentaram agitação e ansiedade, perda de concentração ou formigamento nos dedos, braços e pernas.

Dois participantes abandonaram o estudo prematuramente porque seus sintomas eram tão fortes que eles não queriam mais sofrer a falsa irradiação.

Era evidente que os problemas mais sensíveis eram aqueles que anteriormente tinham fortes preocupações sobre o problema.

O EFEITO DO NOCEBO TEM EFEITOS EPIDÊMICOS

A pesquisa destacou o importante efeito que o "sensibilismo" da mídia, geralmente não científico, pode ter na saúde de uma grande parte da população.

De fato, é comum a mídia relatar notícias alarmantes sobre os riscos de exposição a campos eletromagnéticos, sejam eles de dispositivos eletrônicos (telefones celulares, computadores) ou de sistemas de transporte de eletricidade (torres). .

Mas é claro que qualquer problema enfrentado como ameaça à saúde pode ter um efeito adverso significativo. Não há "doença" que não possa ser induzida dessa maneira.

Fabrizio Benedetti, um dos principais estudiosos do efeito placebo, que apresentamos na conferência Salute Attiva Onlus, também nos conta.

"Expectativas negativas podem ser transmitidas através da população, esta é a base dos fenômenos de massa.

Veja este experimento: um pesquisador diz a um único sujeito que, dentro de um dia ou uma semana, eles terão dor de cabeça. Ao longo de uma semana, as informações se espalham por centenas e milhares de assuntos. Todos eles são socialmente "infectados" e realmente sofrem com a dor de cabeça.

Nestes indivíduos, as prostaglandinas aumentam dramaticamente (parâmetro mensurável). Isso muda a bioquímica da população ". Fonte no vídeo italiano da 5LB Magazine.

A mídia está ciente do ônus da responsabilidade?
E o tema se torna muito importante para qualquer autoridade que tenha o poder da sugestão, tanto na saúde quanto em qualquer outra área da comunicação.

A venda de informações é mais do que segura, influencia diariamente os hábitos das pessoas, seu comportamento e sua saúde.

Citando este outro artigo sobre os "perigos dos excessos na promoção da ciência", os cientistas devem ter mais cuidado ao relatar seus resultados, os jornais devem deixar de ser sensacionais [e, em vez disso, confiar nas evidências], e as pessoas devem aprender o pensamento crítico, especialmente no momento em que todos temos acesso repentino e gratuito a ferramentas que produzem e fornecem informações ilimitadas.

NO MODELO DAS 5 LEIS BIOLÓGICAS

No mundo das 5 leis biológicas, parece óbvio que esse fenômeno perceptivo se traduz em sintomas físicos.

No entanto, não falamos aqui em termos de "sugestão" ou "condicionamento mental" que seriam refletidos no corpo graças ao "poder da mente". Com essa visão, entre outras coisas, é difícil explicar como a sugestão se traduz em um sintoma específico.

Em vez disso, estamos falando de uma reação biológica comum e sensível ao perigo, seguindo uma percepção biológica subjetiva (que no passado já foi corroborada por um fato específico, para gerar um trilho).

A razão pela qual uma população de indivíduos pode manifestar o mesmo sintoma idêntico, embora a percepção psíquica seja individual, expliquei neste outro artigo sobre epidemias e tumores contagiosos.

Se agora, cientes dos mecanismos perceptivos nas reações biológicas do organismo, pensamos nos casos mais famosos da mídia envolvendo grandes áreas urbanas perto de complexos industriais, ou mesmo nos casos sensacionais de fábricas de amianto, ou pensamos nos chamados "condomínios tumorais"(IT) que vivem a uma curta distância dos postes, mas também no pânico construído em torno de certas influências ... podemos imaginar o peso que o efeito do nocebo transmitido na comunicação e nas crenças pode ter sobre a população nesses contextos.

E entendemos que essas "doenças coletivas" podem ser totalmente geradas no nível psíquico e, ao mesmo tempo em que, enquanto esse fenômeno for ignorado, não teremos os meios para enfrentá-los.

Agora pode valer a pena se aprofundar no efeito placebo e nocebo que já falamos em alguns outros textos aqui na Revista.

Se você deseja entender mais sobre as 5 leis biológicas, comece aqui.




Equipe de tradução e direção

5 Leis Biológicas Brasil

Siga o 5LB Magazine