## Última Hora ##
Um momento...
, , , ,

Descobrimos o suor! Cria-se valor aos acionistas...


Mau cheiro: descubra as bactérias responsáveis ​​pelo odor nas axilas
“O Dr. Dan Bawdon, especialista da Universidade de York que liderou a pesquisa, explicou: "Este trabalho melhorou muito a nossa compreensão dos processos bioquímicos específicos envolvidos na produção de odores corporais". É surpreendente que esse caminho particular seja governado apenas por uma pequena parte das muitas espécies bacterianas que residem na área axilar. Nós abrimos a possibilidade de inibir a formação de odores desagradáveis ​​usando compostos projetados para tratar proteínas específicas que controlam a liberação de substâncias malcheirosas. "
Fonte: GreenMe [ITA]

A notícia em síntese: descobriu-se que o odor do suor é produzido pelo estafilococo; os mecanismos que levam à formação de odores implicam os genes da bactéria, porém isso não está totalmente esclarecido, e mais estudos serão necessários para criar novos desodorantes que eliminem as bactérias, ou melhor, que modifiquem seu trabalho para que não liberem odores.

Ainda hoje nos deparamos com uma história que mostra o motor invisível da pesquisa científica atual: "Ainda não sei por quê, mas se eu crio valor para os acionistas, eu faço".

Textual: “It’s an extremely exciting time to be a microbiologist. We haven’t really figured out why they’re there and exactly what they’re doing.”
"É um momento extremamente empolgante para ser um microbiologista", diz Thomas. "Nós não entendemos realmente por que elas [as bactérias] estão lá e exatamente o que estão fazendo."

A pergunta para a qual o estudo busca a resposta não está centrada na razão pela qual o organismo abriga colônias de bactérias e se tem uma função biológica útil e se esta é necessária, mas a questão é: como encontrar um remédio comercializável?

Os estudos são realizados de maneira tecnicamente impecável, então não há nada de errado com isso: porém, a pesquisa considerada científica hoje em dia e a comunicação anexa, é muitas vezes distorcida por objetivos financeiros.
Com o mesmo estudo feito com perfeição, de acordo com o ponto de vista e o objetivo inicial, pode-se chegar a conclusões diametralmente divergentes, que se buscam o conhecimento, podem dizer uma coisa, se buscam o benefício, podem dizer outra coisa.
De fato, nem sempre é possível saber quando as conclusões são realmente tiradas do estudo original ou quanto é o resultado da digestão da mídia, mas o significado da mensagem disseminada não muda.
Que neste caso é "não sei muito sobre o que vejo, mas enquanto tenho dúvidas, modifico e neutralizo, e faremos um produto eficaz".


Deixo a notícia para trás e apresento o suor e seu sentido biológico.
As glândulas sudoríparas têm a mesma origem embrionária que a derme e, portanto, são inervadas pelo cerebelo.
O suor na fisiologia normal serve para regular a temperatura corporal e é inodoro, enquanto que o da fisiologia especial reage aos "ataques à integridade".
Na fase ativa, a glândula aumenta a produção de suor, enquanto na PCL-A se caseifica com a intervenção de bactérias (casualmente...).
Portanto, se você se encontra em uma rotina com recidivas, o suor remove os restos caseosos que dão aquele cheiro ácido e "selvagem" que você permanece sentindo, mesmo imediatamente após o banho.
Realmente não tem nada a ver com higiene pessoal, mas é uma persistência com medo de ser pego, atacado: se eu tiver que percorrer algum lugar perigoso, o suor servirá para fugir, ou para escapar do inimigo que não consegue me prender.
Como alguém que, ao apertar a mão de alguém, o encontra completamente congelado e molhado: é a sensação visceral de ter que escapar para não ser pego.

Para maiores esclarecimentos, comece estudando as 5 leis biológicas.

Se você gostou, siga a página aqui



Equipe de tradução e direção

5 Leis Biológicas Brasil

Siga o 5LB Magazine