## Última Hora ##
Um momento...
, , , ,

A causa da esclerose auto imune e doenças motoras degenerativas

Premissa: a etiologia das chamadas doenças (isto é, a causa das reações fisiológicas especiais do corpo) é um tema que, numa primeira abordagem das 5LB, chama bastante nossa atenção. Além de compreender as causas, é essencial aprender a familiarizar-se com a função dos tecidos envolvidos e a posição do organismo nesse processo.
Esta abordagem adota os detalhes adquiridos na Escola de Formação Profissional 5LB, que por si só não busca provar nada (não neste contexto), mas sim fornecer instrumentos precisos que permitem a qualquer um verificar esses fenômenos. Para iniciantes, será necessário ler, pelo menos, as 5 Leis Biológicas.


Na neurologia, um grande número de doenças é classificado como patogênese incerta e etiologia completamente desconhecida, que em muitos casos envolve o aparato muscular. Através das "lentes" das leis biológicas, a sintomatologia e seu desenvolvimento, bem como as causas, são rapidamente ordenadas e esclarecidas.

Deve ser um indício de um mecanismo bastante típico do sistema musculoesquelético, especialmente no ser humano, mas, para entendê-lo, é necessário primeiro saber como esses tecidos funcionam[ESP].  É um círculo vicioso que é frequentemente ativado com infinitos "conflitos locais" que podem ser melhor compreendidos com um exemplo:

Um homem está na percepção de "não estar apto a dar um grande passo", colocando em alerta o músculo da panturrilha direita que não consegue avançar, com leve atrofia na Fase Ativa. No momento em que ele consegue dar o passo, o músculo entra em reparação, diminuindo sua força e suporte (início do PCL-A).
Agora acontece que este homem, subindo uma escada, inesperadamente cai, sentindo que há algo que não está certo, sua perna "não funciona". Isso é totalmente normal: como vimos, o músculo precisa de um certo tempo de convalescença para reparar as fibras e é por isso que ele se protege tornando-se flácido.
O ponto é que um evento semelhante pode reativar "localmente" a percepção de "não estar apto", mas NÃO em relação ao "grande passo", mas por causa da fraqueza de sua perna: "Minha perna não funciona mais como antes" e ativa um círculo vicioso de fase ativa e solução onde o mesmo reparo é aquele que causa o conflito.

Este círculo vicioso é muito comum e geralmente responsável pela cronicidade destes sintomas, e também é, acima de tudo, o motor desses diagnósticos “degenerativos e autoimunes” do sistema neuromuscular.
O próprio diagnóstico, por exemplo, de “esclerose”, produz com esse mecanismo um efeito dramaticamente Nocebo, tirando do músculo o direito sagrado de estar cansado e flácido, porque cada vez que cedem, se confirma o avanço da doença, causando novas desvalorizações e conflitos motores.
Nessa situação, os tecidos nunca estão em condições de levar a reparação até o fim, levando, em alguns casos, a tal degeneração, que a função muscular está profundamente comprometida e com isso fazendo com que a profecia de progressão da doença se auto realize.
A curva bifásica "humana" que não chega ao final do ciclo é apresentada da seguinte forma: cada fase de reparação (vermelho) provoca uma nova ocasião que leva ao estado de alerta (azul), um círculo vicioso que não permite a recuperação da fisiologia normal, levando eventualmente à degeneração tecidual.


Outros sintomas que geralmente estão associados a essa "degeneração neurológica" são os sensoriais, como os problemas de visão (escotomas e afins), que, por outro lado, são processos diferentes com seu próprio curso e nenhuma conexão com o conflito motor.

Sim, é um assunto muito delicado por causa do terror que o permeia e por causa da sensibilidade que isso acarreta. Neste caso, o nível de hipnose que é criado é muito alto: estamos tão acostumados a viver com rótulos que simplesmente nos dão (por exemplo: esclerose múltipla). Qualquer atividade anormal do corpo é identificada com esse rótulo, mesmo quando os sintomas não tem nada a ver. E, em seguida, vem as explicações; "Porque o sistema imunológico está enfraquecido", "o vírus está se espalhando", etc.

Ao contrário: O processo de reparação com sua fraqueza muscular é bom e sensato e deve ser recebido sem medo: como um animal faria, sem crenças e interpretações, respeita seu tempo de convalescença e deixa o corpo funcionar.
A ideia comum faz exatamente o contrário, leva a interpretar a fraqueza, os movimentos epilépticos e a dificuldade motora como uma deterioração do quadro clínico.
A atenção a esses sintomas torna-se obsessiva ao tentar guiar e controlar os movimentos (o que é impossível porque o movimento é ideomotor e não pode ser controlado) e, portanto, cai em um ciclo de recorrência que se retroalimenta.
A dificuldade para a pessoa torna-se enorme, cada vez que o músculo cede, confirma a progressão da doença, cada paralisia motora provoca uma desvalorização que alimenta o processo. E os ingredientes que sustentam essa atmosfera hipnótica são ilimitados. Vai do medo da família e das pessoas próximas, até o da comunicação da mídia que não deixa saída.

A única coisa que a natureza pede é: deixe o corpo fazer o que sabe: Pare, mesmo em uma sociedade que não lhe permita: observe como a fraqueza, apesar de difícil, é um sinal positivo de vagotonia onde o corpo está reparando suas funções; aceitá-lo em um ambiente familiar sereno, sem angústia, e aproveitar esse momento como ele é: um período de convalescença. Observe como, a partir de uma oscilação dos sintomas, vagotonia após vagotonia, permitindo a fase de reparo, você vai sentir-se mais e mais forte do que era antes.
Esta é, de uma forma muito simples, a única maneira de fechar a rotina degenerativa, enfrentando o maior obstáculo que é a hipnose, uma gaiola sólida e absolutamente identificável, que leva a uma mudança de perspectiva e atitude que acontece, não necessariamente de uma hora para outra.

Quando se discute causas químicas e moleculares, considera-se que o que é demonstrado clinicamente é certamente um fato verificável, como a degeneração da membrana nervosa (mielina), ou manchas cerebrais; mas do ponto de vista das 5LB é um erro de perspectiva que inverte a causa com o efeito.
Os nervos são desmielinizados, mas quem causa isso e por quê?
Por que em uma parte precisa do corpo e a outra não?
Por que a contaminação "pegou" uma perna e não a outra?
Estes efeitos orgânicos resultam de processos biológicos sensíveis que respondem a leis precisas da natureza, com uma etiologia determinada e verificável, sem suposições estatísticas.

De fato, muito frequentemente, alguns sinais são considerados como marcadores de doença, sem que de fato, existam nexos inequívocos de causa e efeito.
Pense, para exemplificar isso, como devem ser fragmentadas as nomenclaturas para manter juntos fenômenos que não têm uma conexão causal entre eles: se manchas brancas são detectadas no cérebro com a tomografia computadorizada e a pessoa tem sintomas motores, será chamada esclerose múltipla; se, em uma visita ocasional, pontos brancos forem detectados no cérebro, mas a pessoa não tiver sintomas motores, será chamada de esclerose múltipla assintomática; Se há problemas motores, mas não há manchas no cérebro, é chamada esclerose múltipla atípica.

Para sair deste labirinto, através do modelo das leis biológicas, perguntamos: além de qualquer rótulo, que sintomas se manifestam, especificamente? Se existem dificuldades motoras, enfrentamos um processo de recorrência muscular, cada indivíduo à sua maneira e com sua própria experiência pessoal.
E então qualquer assistência médica estará bem, contanto que algo seja feito para quebrar o feitiço ao mesmo tempo.


Para aplicar este conhecimento é necessário precisão. Portanto é importante não autodiagnosticar e não modificar o tratamento médico, mas também observar o processo apenas para fins didáticos. A psicologização a que estamos acostumados nos faz pensar que a consciência e a boa vontade são suficientes para mudar as coisas: pelo contrário, a biologia responde apenas a ações concretas decorrentes da disponibilidade da pessoa para fazê-lo. Devido a pluralidade de variáveis é, no entanto, impossível e desrespeitoso para o paciente, mesmo na presença do melhor médico ou especialista, para fazer o diagnóstico correto e completo on-line.

Se você gostou, siga a página aqui



Equipe de tradução e direção

5 Leis Biológicas Brasil

Siga o 5LB Magazine